Juventus e Música

Por: Marcos "Marcuccio" Caiafa em 25 set 2016
Juventus e música, uma combinação muito interessante

Sala de espera do oftalmo, acanhada e lotada. Todos com cara de paisagem, no silêncio entrecortado por viradas de páginas de alguma Veja ou IstoÉ de algumas semanas atrás. De repente, sinto uma vibração no bolso e logo começam os acordes (estridentes) de guitarra com o hino do Juventus em versão rock*. Todos os olhares à minha pessoa, atendo. Era engano, tudo bem pessoal...

Pois é, Juventus e música. Uma combinação muito interessante. Das versões que são entoadas domingos afora na Javari e aonde o escrete grená estiver, uma das que mais gosto é o clássico "Da Mooca inteira se ouvirá, nosso grito ecoará..." A melodia é da "Valsa do Adeus", se não estou enganado. Queria muito saber quem é o autor... Outro hit juventino, indefectível em jogos, é "Somos do bairro da Mooca, bairro de luta e tradição..." O que dizer então dos versos "Esse é o bairro que eu vou morrer, na Javari, vamos meu Juventus, não podemos perder, temos que ganhar. Essa é a família que vem te alentar, está a todo lado pra te ver jogar, o sangue operário nunca irá secar, a resistência não desistirá!" É lindo demais esse orgulho das tradições operárias. E nem poderia ser diferente. Está no nosso sangue.

Recentemente na mídia pelo leilão de seu estádio e pelo rebaixamento à Série D, nossa tradicional adversária do Pari é 'homenageada' por nossa torcida a cada embate. Talvez minha filha e sobrinha me deem a honra de ler esta coluna, portanto não devo reproduzir alguns versos... Mas a parte do "Campeão de 83 do Brasileiro, Taça de Prata para os modernos..." é emblemática.

Adoniram Barbosa. Seu nome é a própria síntese do samba paulistano. Autor de inúmeras obras primas - entre elas, a atemporal "Saudosa Maloca", de 1955, na versão mooquense de sua canção, a própria epopeia do clube, em verso e prosa: "Sem a mídia, sem parceria, cada gol, cada partida, lembrava o velho esquadrão..." e segue: "Moleque da Mooca, da Mooca querida..." Um raro exemplo de adaptação magistral entoada nos estádios.

Aos genais poetas anônimos que criaram e/ou adaptaram esses cantos que engrandecem o espetáculo do futebol, o meu muito obrigado! E que essa tradição juventina permaneça!

Futebol e música, pizza e vinho, Juventus e Mooca. Um sem o outro, não dá.

Não posso finalizar esta crônica sem saudar meus amigos da Web Radio Mooca, que durante a transmissão do jogo Juventus x SPFC citaram a minha coluna. Um abraço a vocês! Corona, Raony, Hiroi, síndico Rubens, Edson Luiz e Marcelo Santos, parabéns pelas excelentes e divertidas transmissões!

*Uso como ringtone no meu celular a versão em guitarra do hino do Juve, uma excelente performance de Renan Muniz. Pode ser visto no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=-wAHRlIZ40o

Foto Autor
Marcos "Marcuccio" Caiafa
Paulistano, juventino, exilado em Curitiba. Escreve para o site Canelada.com.br e a página Casa Nostra, no Facebook

Atenção: Este texto representa a ideia do autor e não necessariamente a opinião do juve.com.br ou da torcida juventina. Utilize o espaço de comentários abaixo para debater de forma saudável os assuntos com o autor e com os outros leitores. Comentários que o juve.com.br identificar como inadequados serão removidos sem aviso prévio.

Compartilhe este artigo com seus amigos:

Comentários